14237501_1360117707349242_7945892263463367280_n
Jack Lindemberg tatuador na Tatuaria Zombie.

Ingressei na tatuagem aos 16/17 anos, estou atuando profissionalmente na tatuagem a 2 anos e tenho como especialidade trabalhos de Black Work.

Você sempre quis ser um tatuador?

Bom, deis de criança eu sonhei em ser biólogo porém ao crescer esse sonho foi se distanciando, mas sempre fui apaixonado por ciências então comecei a estudar química, aliás me formei como técnico em química, mas a paixão pela tatuagem é maior que todos os outros gostos e sonhos profissionais.

Quando percebeu que queria ser um tatuador profissional?

Após alguns trabalhos realizados, recebi diversos elogios, inclusive de pessoas de meu relacionamento que eu considerava mestres na arte da tatuagem, isso foi me incentivando cada vez mais. Mas a maior influência para min, foi o fato de você criar a sua arte do modo que você imaginou naquele momento de criatividade e alguém poder levar aquilo pra vida toda na pele, diversas pessoas admirando a sua arte, isso é a motivação maior.

Qual foi seu primeiro contato como tatuador?

Quando eu era adolescente eu já era fissurado pela arte da tatuagem, mas nunca pensei em me tornar um, afinal eu não desenhava mas eu tinha amizade com um tatuador (André Nunes) e comecei a desenhar, mandava meu desenhos para ele, ele avaliava e me dava dicas, me ensinava técnicas, até que eu fui evoluindo. Na minha primeira semana de desenhos ele viu que eu tinha talento, e então eu comprei minha primeira Máquina profissional, fonte e materiais, parcelei tudo no cartão da minha Vó, afinal eu não tinha renda alguma. O André me cedeu a pele dele, então eu o tatuei. Depois daquele dia eu já tinha alguns clientes a minha procura e assim consegui pagar os materiais e investir cada vez mais.

Qual seu estilo preferido de tatuagem?

Sou inteiramente apaixonado por Realismo e trabalhos em preto e cinza, mas também admiro muito New School e Aquarela devido suas cores predominantes.

Qual seu ídolo no ramo?

Eu tenho uma enorme admiração pelo Victor Chil e Paul Acker, seus trabalhamos são de extrema qualidade, é surreal o trabalho que eles executam, não consigo escolher somente um deles como ídolo.