Qualquer um que goste mesmo de tatuagem conhece Norman Collins, nascido dia 14 de janeiro de 1911 em Reno (Nevada), mais conhecido como Sailor, dado o apelido pelo pai que percebe a semelhança entre o garoto teimoso e encrenqueiro a uma mula da família que se chamava Sailor, e “Jerry” foi adquirido mais tarde após ele entrar na marinha.

Na década de 20, quando Sailor ficou de maior a tatuagem era uma forma de expressão de não seguir a uma cultura dominante, de viver fora das regras impostas e como ele mesmo optou por seguir sua própria visão do mundo.
Sailor viajava para todos os lugares da América com o desejo de ter liberdade, trabalhava temporariamente e acampava nos lugares em que ia. Foi nesse período que começou a desenhar em peles com apenas uma agulha e tinta preta enquanto viajava.
Chegando em Cicago ele conheceu Tatts Thomas um grande tatuador local que lhe ensina a usar a máquina de tatuagem. Ele praticava em mendigos dando-lhes vinho e algumas moedas para lhe doarem a pele deles.
Em 1928 Jerry alista-se na marinha dos Estados Unidos, nesta época ele descobriu seu amor por navios e sua aventura continua cruzando oceanos e viajando para China e Japão aprimorando sua arte. “Eu não tenho um único desenho que não possa ser melhorado; de vez em quando eu tenho vontade de “renovar” para me manter à frente dos mestres de tatuagem!” escreveu uma certa vez.
Depois que saiu da marinha mudou-se para o Havaí para trabalhar como tatuador. Em 1942 abre seu próprio estúdio de tatuagem no distrito da Hotel St. de Honolulu, Jerry criou seu próprio estilo de tatuagem – inônico, artístico, radical e bonito.
“Eu fui o primeiro a começar a usar roxo, branco, amarelo e azul- agora eles estão todos tentando fazê-lo. A cor chegou para ficar. Quer dizer, a cor de qualidade!”
Após a segunda guerra mundial Jerry foi influenciado pela cultura Japonesa, os mestres japoneses na arte da tatuagem era chamados Horis e ele se tornou o primeiro ocidental a ter correspondências com os orientais sobre as técnicas deles.
Jerry ficava irritado os outros artistas que copiavam seu trabalho, ele se recusava a tatuar pessoas que tinham o trabalho de artistas que ele não gostava “Você precisa apender a sensação de criar ao invés de imitar” Já aos companheiros tatuadores Jerry passava suas técnicas detalhadamente, e aprendia também aprofundando cada vez mais sua arte.


Ele estava sempre lutando por algo, seja os pensamentos convencionais, os artistas imitadores e até a intromissão do governo nos seus negócios. Ele nunca deixou de lutar por aquilo que acredita, e não se deixou levar por ninguém seja lá quem fosse.
Em 1973 Collins sofre um ataque cardíaco e faleceu, deixando sua loja para Ed Hardy e Mike Malone, caso eles não aceitassem ele pediu para que queimarem a loja toda pois não confiava em mais ninguém para seguir seu legado.

Hori Smoku Sailor Jerry
É um documentário de longa metragem sobre a vida de Norman Collins considerado por muitos o tatuador mais importante de todos os tempos, explorando as raízes da tatuagem americana através de entrevistas raras, imagens e documentários. Assista:

0 81